Hora do Chá!

    Na teoria só devemos chamar de chá aquele que se origina das folhas da planta Camellia sinensis (que inicialmente recebeu o nome de Thea sinensis), mais conhecida como chá-preto, mas que também dá origem ao chá-branco, chá-verde, chá-amarelo e chá-vermelho. Todas essas bebidas são originárias do mesmo vegetal, porém com coleta feita em momentos diferentes e o tipo de secagem das folhas fazem a diferença entre elas. Os outros tipos (camomila, mate, etc) deveriam ser chamados de infusão. O importante é que infusão ou chá, todos trazem benefícios ao organismo.
   Caso você queira obter resultados na sua saúde com algum tipo de chá, por exemplo, consumir chá verde para reduzir o colesterol, ele deve ser tomado com frequência e é preciso ingerir certa quantidade. Parando de beber, os benefícios cessam. Os efeitos terapêuticos de muitos chás são comprovados através de estudos científicos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) regulamenta o uso com fins terapêuticos por meio de uma resolução de 2005.
   O chá pode ser consumido ao longo do dia, e por não ter calorias, não tem contra indicação de quantidade para quem está fazendo dieta, ou seja, é liberado desde que não coloque açúcar. Se for pelo prazer, toda hora é hora. Já para conseguir algum benefício, isso pode variar. Os chás que falo aqui não são os de versão engarrafada. Durante as grandes refeições (almoço e jantar), seria melhor consumir um chá qualquer sem ser o preto, por exemplo, já que possui cafeína que atrapalha a absorção de alguns nutrientes do seu prato. Por isso, nesse caso seria mais adequado beber  outro tipo de chá ou nada. No entanto, entre as refeições, utilize o chá que mais lhe agradar!
    Uma dica é colocar alguns temperos que combinarem dentro de chás já prontos para acrescentar sabor e benefícios, por exemplo, acrescentar um pau de canela em um chá de maçã, folha de hortelã em um chá de hortelã ou colocar uma rodela de gengibre dentro do chá de laranja ou limão... Uma delícia! Aproveitem para tomá-los mais nas baixas temperaturas, afinal, eles são mesmo reconfortantes.

                               Shalimar Diniz- Nutricionista- CRN09101097