Dietas da Moda

Cada vez mais as pessoas se preocupam com a saúde e, principalmente, com a aparência. Muitos já ouviram falar nas “dietas da moda”, as quais, não raro, são postas em prática sem assistência de um nutricionista. A maioria destas dietas é restrita em algum ou vários nutrientes. São diversos tipos e, a cada dia, surge uma nova. Existe, por exemplo, uma famosa dieta onde conta-se pontos e estes representam calorias; outra onde o carboidrato é quase inexistente e é super protéica; além de muitas outras, como a dieta da sopa, do shake, do tipo sanguíneo, e assim vai.

É importante que as pessoas saibam que a perda muito rápida de peso não é saudável, podendo acarretar vários danos e desequilíbrio ao organismo. Diversos estudos científicos mostram que mais de 90% das pessoas que perdem muito peso em pouco tempo, voltam a ganhá-lo em até um ano, quando não ganham peso a mais.

Além disso, a composição corporal é muito importante. Não é bom que haja perda de massa magra (de músculo), mas sim de gordura. A famosa dieta da proteína faz com que muitos fiquem felizes por subir na balança e em pouco tempo ver uma boa perda de peso. Mas existem algumas questões importantes a levarmos em consideração.

Quando fazemos uma dieta muito rica em proteína e baixíssima em carboidrato, perdemos peso rápido. No entanto, não estamos perdendo gordura, mas sim água e massa muscular, já que a proteína, na ausência de carboidrato, acaba não sendo tão utilizada pelo organismo para construção e reparação de músculos e sim como fonte de energia. E mais, quanto mais massa muscular, mais aumentamos nosso metabolismo e a queima de gordura. Conclusão: se esta dieta gera perda de massa muscular, ela aumenta o percentual de gordura.

Por outro lado, uma dieta rica em proteína e pobre em carboidrato faz com que em alguns dias haja aumento de corpos cetônicos (formados pela quebra de ácidos graxos,isto é, a quebra de gordura para dar energia, já que os carboidratos estão escassos) e fiquemos com o sangue acidificado. Isto pode sobrecarregar os rins e levar a diversos sintomas como: gosto ruim na boca, enjôo, irritabilidade, cansaço e aumento do colesterol, já que os alimentos fonte de proteína, em sua maioria, são ricos em gordura. Portanto, este dieta é perigosa principalmente para pessoas com colesterol elevado e cardiopatas.

Além disso, a dieta da proteína é monótona, já que exclui os alimentos fonte de carboidratos. Como se não bastasse, esta é uma dieta que para dar certo tem que ser seguida para sempre, pois se a pessoa retornar ao seu padrão normal de alimentação, engordará tudo de novo ou mais.

A famosa dieta de “contar pontos” é uma das melhores dentre as da moda. Ocorre da seguinte forma: a pessoa deve contar o dia inteiro, através de pontuações atribuídas a todos os alimentos, as calorias que está ingerindo. A pessoa pode escolher o que comer, basta descontar os pontos de sua cota diária, a qual varia conforme o peso de cada um.

O que ocorre na dieta dos pontos é que muitos emagrecem, mas a maioria não consegue manter o peso por muito tempo, porque ninguém consegue contar pontos a vida inteira e os hábitos individuais não são corrigidos, ou melhor, a pessoa não aprende a se alimentar corretamente e a substituir os alimentos de forma que a alimentação do dia-a-dia não seja monótona e possa durar a vida toda. Na fissura de contar os pontos, as pessoas acabam se preocupando mais com calorias do que com a composição dos alimentos, o que não é interessante para manter uma alimentação saudável. Devemos sim pensar em calorias, mas nem sempre um alimento menos calórico é melhor que outro mais calórico, mesmo para quem quer emagrecer. Já vi pessoas que seguem esta dieta somando calorias de pipoca com manteiga e molhos gordurosos, e verificando se as calorias estariam dentro do seu total diário permitido. No entanto, a qualidade dos alimentos é um ponto fundamental em uma dieta.

Podemos concluir que a melhor dieta é comer de forma equilibrada e no tempo de cada um. A maioria das pessoas que está acima do peso ideal demorou um bom tempo para atingi-lo. Da mesma forma, é perfeitamente normal levar tempo para perder o excesso de peso de forma saudável. Mas grande parte das pessoas quer um resultado ultra rápido ou uma “pílula mágica”. Se esta pílula existisse, não haveria tanto problema de sobrepeso e obesidade no Brasil. Quiçá nos países desenvolvidos como EUA que, no entanto, é um país com um dos maiores índices de obesidade do mundo.

Portanto, ao pensar em fazer uma dessas dietas mágicas, lembre-se daquele velho ditado...: “Tudo o que vem fácil, vai fácil!”. Infelizmente, ou felizmente, aqui vai a verdade:a melhor dieta é a Reeducação Alimentar, isto é, uma dieta equilibrada em todos os nutrientes e, é claro, acompanhada de exercício físico! Desta forma, haverá qualidade de vida, saúde e resultado. Por isso meus caros, mãos à obra!

Shalimar Carr Nogueira Diniz – Nutricionista - Personal Diet.